Entenda como a manutenção preventiva na indústria pode ser um diferencial

7 minutos para ler

Ter processos confiáveis é algo fundamental para o sucesso no segmento industrial. Sem isso, os custos aumentam e haverá incerteza junto aos clientes no que diz respeito ao cumprimento de prazos e à garantia da qualidade dos produtos. Nesse sentido, a manutenção preventiva é uma atividade muito essencial.

Neste artigo, você poderá saber mais sobre a importância da manutenção preventiva, bem como alguns pontos de atenção que precisam ser levados em consideração para que tudo saia conforme o planejado!

O que é a manutenção preventiva?

A manutenção preventiva pode ser definida como uma estratégia voltada para reparos e a conservação de equipamentos. É baseada na substituição ou conserto de componentes de um ativo em um intervalo fixo e pré-definido, independentemente de sua condição atual. Isso porque toda máquina está sujeita ao desgaste ocasionado pelo uso constante ou eventual, é algo inerente à sua utilização.

Deve ser realizada com regularidade, enquanto o equipamento ainda funciona, seja em 100% de sua capacidade ou mesmo parcialmente. Tem o objetivo de evitar quebras, reduzir a probabilidade de falhas minimizando suas consequências. Quando a máquina já não funciona mais, é necessária a manutenção corretiva.

Ou seja, quando fazemos manutenção preventiva, estamos executando uma tarefa antes que ocorra um problema. Já quando executamos a manutenção corretiva, a situação indesejada já ocorreu e o objetivo é reestabelecer seu funcionamento.

Quando um ativo crítico, que faz parte de um sistema de produção integrado e complexo, falha sem aviso, o custo em danos e tempo de inatividade pode ser extremamente alto. Isso sem mencionar o risco potencial para os colaboradores e para o meio ambiente, conforme demonstrado em vários incidentes recentes e altamente divulgados relacionados à segurança.

A confiabilidade dos ativos está se tornando um diferencial competitivo de negócios, fazendo com que as organizações repensem como podem aproveitar os recursos existentes para melhorar o desempenho de seus ativos críticos de produção.

A manutenção preventiva pode ser baseada no tempo, ou seja, toda semana, todo mês ou a cada três meses. Mas a manutenção preventiva também pode ser baseada no uso, por exemplo, a cada 150 ciclos, a cada 10.000 horas ou como o fazemos com os carros, levando para a autorizada a cada 10.000 km.

Qual a importância da manutenção preventiva?

Ao longo dos anos, um volume cada vez maior de dados sobre a condição dos equipamentos de produção vem sendo gerado por sistemas avançados de automação. Essas informações servem para ajudar o gerenciamento e a redução das possibilidades de falhas e quebras em máquinas, bem como os custos associados, a disponibilidade e o tempo de atividades de conserto. Mas não são suficientes por si só.

Durante a vida útil de um ativo industrial, o desgaste normal é inevitável. No entanto, o uso inadequado pode causar uma deterioração mais rápida do que o esperado. Portanto, é importante inspecionar, lubrificar e alinhar os componentes regularmente, de acordo com um plano de manutenção.

Além disso, é essencial que todos os operadores sejam treinados para que usem esses equipamentos da maneira correta e também possam fazer a inspeção de primeiro nível, identificando eventuais problemas com agilidade. Quando os operadores estão cientes de pontos comuns de falha e sinais de deficiência, eles são mais capazes de detectar problemas desde o início.

Essas práticas são imprescindíveis para se reduzir o risco de falhas e quebras, que podem trazer grandes prejuízos para a unidade. Não apenas no que diz respeito ao conserto ou substituição, mas por todo o tempo que a linha de produção ficar impossibilitada de funcionar e produzir. Além disso, a manutenção preventiva é uma atividade que aumenta a vida útil das máquinas, maximizando o valor de uso dos ativos, fazendo com que a empresa possa planejar melhor seus investimentos em expansão e para atendem ao crescimento da demanda.

Para que a manutenção preventiva aconteça com eficiência, é interessante realizar algumas etapas.

Estabeleça um plano

Antes de qualquer procedimento de manutenção preventiva ser implementado, é importante estabelecer quem estará envolvido no projeto, o que deve ser feito e quais os recursos disponíveis.

Além disso, é fundamental que os funcionários sejam totalmente engajados para cumprir com aquilo que for definido para que se tenha sucesso. É preciso também determinar as meta para o projeto. Pode ser, por exemplo, reduzir os custos com manutenção corretiva em X% ou aumentar a taxa de disponibilidade de determinada máquina.

Faça o inventário de equipamentos

É provável que esse seja o ponto mais demorado da criação de um programa de manutenção preventiva, pois envolve visitar as instalações e fazer uma verificação minuciosa, a fim de garantir que o inventário cubra todos os equipamentos relevantes. Embora seja um exercício que demanda tempo, não pode ser negligenciado já que é crítico. Ele serve para assegurar que as verificações preventivas sejam de fato realizadas nos principais equipamentos operacionais.

É preciso documentar questões como a marca e o modelo das máquinas, números de série, especificações, local da instalação, dentre outros. Também registrar a sua condição atual para que seja possível priorizar sua relevância dentro do programa de manutenção preventiva.

Crie os procedimentos de manutenção preventiva

Depois de elaborada uma lista de equipamentos, o próximo passo é determinar as tarefas necessárias para realizar a manutenção em cada peça e a frequência com que essas atividades devem ocorrer. Afinal, a equipe de trabalho deve estar preparada não apenas para identificar eventuais problemas, mas para atuar ativamente na correção.

Determine a programação

O agendamento da manutenção preventiva é primordial para as operações da empresa, pois elas ocorrem regularmente e envolvem tempo, energia e recursos humanos para serem concluídas. Ao criar um cronograma, é importante fazer uma lista de itens de alta prioridade, que devem ser os pontos de partida. As metas iniciais dão essa direção.

Os equipamentos que requerem manutenção em intervalos mais longos geralmente exigem mais tempo e recursos e, por causa disso, a programação pode ser mais interessante durante períodos específicos do ano. Por exemplo, em períodos de férias coletivas ou em caso de sazonalidades já identificadas que acarretam em queda da demanda.

Análise os resultados e implemente melhorias

As empresas são dinâmicas, assim como seus equipamentos. Novas tecnologias são adotadas, as demandas dos consumidos mudam. Por isso, é importante sempre analisar os resultados de um programa de manutenção preventiva para assim poder ajustá-lo e melhorá-lo. Lembre-se que essas atividades ajudam a identificar oportunidades de ganho de performance e reduções de custos.

As empresas geralmente procuram a assistência de consultores ou especialistas em implementação de programas de manutenção preventiva. Esses fornecedores contam com todo o know-how sobre o processo e podem acelerar a curva de aprendizagem de uma organização, bem como atuar de maneira pontual, sinalizando problemas eventuais de maneira mais direta.

E se você busca pelos melhores equipamentos de distribuição elétrica, e também por melhorar o controle e a automação de sua indústria, convidamos a conhecer a Therba. Atuamos como parceiros de empresas no segmento industrial desde 1970 e contamos com uma equipe multidisciplinar para atender nossos clientes com toda a qualidade. Entre em contato conosco!

Você também pode gostar

Deixe um comentário