Automação na indústria de alimentos: entenda como esta realidade funciona!

4 minutos para ler

A automação na indústria de alimentos está em alta. Várias empresas têm se beneficiado de processos mais fluidos, ágeis e isentos de erros por aderir às tecnologias disponíveis para este fim, principalmente em razão do aumento de produtividade.

Afinal, a automação permite “fazer mais com menos”, o que aumenta o lucro ao mesmo tempo em que torna produtos mais baratos e, portanto, com mais potencial de venda.

Aumentar as vendas e o lucro é muito difícil, mas com a tecnologia fica mais fácil e o retorno é muitas vezes maior do que o investimento necessário. Então, vejamos em detalhes como a automação impacta na competitividade.

Estruturação para a Indústria 4.0

Alguns movimentos ocorrem sem que tenhamos qualquer controle sobre eles. Na atualidade, a Indústria 4.0 é um desses acontecimentos, ou seja, faz parte de uma mudança que vai ocorrer e que nos força à adaptação. Indústrias que mantiveram os processos artesanais na Revolução Industrial ficaram obsoletas e o mesmo vai acontecer agora com a Revolução 4.0.

Na indústria de alimentos, ainda existem empresas que atuam de modo artesanal, mas elas atendem nichos específicos e têm limitações de crescimento. Além disso, mesmo essas indústrias podem se beneficiar de alguns recursos, seja no processo de produção, seja no processo de comercialização, que também aceita automações.

Nesse contexto, a automação é fundamental na estruturação das empresas para a implantação de recursos mais avançados no futuro próximo. Com alguns processos sendo executados pela tecnologia, as pessoas conseguem focar nas estratégias e na aplicação da automação de um modo humanizado.

Melhora da rastreabilidade e da informação

Os recursos de automação operam com base em dados e diretrizes. Tudo o que ocorre no processo é registrado e disponibilizado na forma de informação em tempo real. Como resultado, a rastreabilidade dos lotes e os indicadores de produção se tornam mais acessíveis, confiáveis e detalhados. 

Com base neles e com mais tempo livre, as equipes podem se dedicar a analisar o processo e aprimorá-lo, bem como podem facilmente rastrear itens, produtos, lotes e, em uma implantação mais abrangente, até mesmo os insumos em processo de entrega pelo fornecedor, pois a evolução tecnológica está integrando as cadeias produtivas.

Diminuição de paradas não planejadas

Equipamentos e máquinas automatizadas podem ser monitoradas em tempo real por meio de sensores, variações de produtividade e de temperatura em componentes são imediatamente identificadas e permitem a manutenção preditiva, que é diferente da preventiva

Como resultado, a segurança é muito maior, os prazos ficam mais fáceis de cumprir e a previsão de produção é muito mais precisa.

Qualidade e padrão

Tudo isso ocorre com alto nível de qualidade, justamente porque as máquinas executam as tarefas exatamente como são programadas e as repetem com exatidão. Isso sem falar no aumento da agilidade e da produtividade, que são os ganhos mais evidentes e fáceis de mensurar. 

Para concluir, considere que o momento mais delicado na automação na indústria de alimentos é a implantação. Se ela for bem planejada, executada e monitorada, os resultados serão imediatos e superiores, mas do contrário a empresa pode precisar de um tempo fazendo ajustes e correções.

Por isso, o melhor é contar com a ajuda de uma empresa especializada em controle e automação industrial, como a Therba. Entre em contato e saiba como contar com a nossa experiência e expertise! 

Você também pode gostar

Deixe um comentário